9.1.09

O Túmulo do Amor


eu tive minha chance e num sobrou mais nada que possa fazer você ficar. eu tentei de mostrar, depois de tudo o que nos aconteceu que eu sou a cor do céu quando encontra o mar, eu que levo na mente [ no coração ] um cimitério que abriga nosso Amor morto. nosso Amor matado.
de vez enquando eu vou visitá-lo, de vez enquando eu choro sobre seu tumulo e lembro das sensações que ele me proporiconava. a gente brigou demais, eu e ele, eu e esse Amor morto, nunca nos entendemos bem, a gente sempre fika meio distante um do outro, eu me distanciava dele toda vez que ele vinha mais perto, toda vez que ele me dexava sem graça, ou me dexava pressionada. talvez por isso que ele morreu de mal de mim.
a unica coisa boa que eu tenho em ter seu tumulo comigo é a sensação de que nunca vou estar sozinha, sabe. ele ta ali do meu lado, sempre! eu sei que ele morreu, que ele num existe mais, mas ele tá ali. do lado. pra toda hora que a saudade num deixar eu sorrir, eu vou lá e choro. choro mesmo. ninguém esta vendo isso, eu não tenho vergonha em falar que ele me faz falta, que ele foi um grande sentimento, e nunca será esquecido. NUNCA. é um coisa que vo carrega pra sempre, eu querendo ou não. mas eu quero. ele me faz ver que Amores a gente encontra e perde. Amores vem e vão, mas ele foi meio que ' único ', talvez por ter sido o primeiro de verdade.
vendo assim, lembrando dos momentos, eu vi que num cometi nenhuma grande loucura pelo Amor. é, acho que falto isso também na relação eu-Amor, a gente num cometia loucuras um pelo outro, a gente num corria riscos, quer dizer, corria, mas num era o que eu e ele desejava.
depois da morte dele, eu ja chorei e ja sorri, ja vivi e já morri um pouco, mas a vida se renova, e eu num posso mudar isso. num posso simplesmente parar o mundo e focalizar que eu cai, que eu perdi, que eu fui derrotada. O que eu tento por na minha cabeça é que foi uma derrota que num importava se eu ganhasse ou perdesse, eu queria ter empatado. eu queria ter dividido as coisas entre ele e eu, queria ter sido mais sincera, não ter tentado roubar nesse jogo.
Mas como uma boa perdedora, eu deixo o vencedor comemorar, eu dexo ele ter o gostinho de ver a derrota na minha cara, no meu jeito de ver o mundo a partir de agora, nas minhas lagrimas, até nas minhas risadas ele vai encontrar marcas dessa derrota. Dessa primeira de muuitas derrotas que eu ainda estou sujeita a passar.
agora não sei se quero ganhar. Agora não. agora eu vo me aposentar com esses jogos, sabe. vo cuida do tumulo do Amor, vo deixar flores sempre. e eu sei que ele está aqui. vivo de espirito. permanente. eterno. e um dia a gente vai se encontrar, afinal, tambem vou morrer um dia !

2 comentários:

Cleber Vaz disse...

Amor para aqueles que ainda não amam.

Melhora para essa oscilação que te acompanha.

steph disse...

NOFFFFA QUE TRISTE QUASE CHOREIIII, MASI BOLA PRA FRENTE CABEÇA ERGUIDAA:}