10.7.09

A Decisão.


Acontece que você vem ao mundo já para sofrer. Já preparado pra sentir a dor de todas as formas possiveis: seja aquela primeira, a dor no bumbum quando o médico, ahh aquele médico maldito, te da um tapinha na bunda; seja a dor do primeiro tombo de bicicleta; seja a dor de ver seu pirulito espatifado no chão, ou a sua boneca perdendo a cabeça apos o cachorro dar uma abocanhada daquelas; Ahhh a dor!
A gente ja vem induzido a possuí-la, a tê-la em todos os momentos em que o sorriso se torna inatingivel... a dor dorme com você, acorda com você, a dor é você. Um você totalmente obscuro, apesar de que em certas pessoas, esse eu inteior chamado dor se manifesta de uma tal maneira que podemos gritar que é caso de obsessão. É a dor gritando de dor. Ou você acha que as dores não sentem dor? Seria totalmente injusto da parte de Deus ele fazer com que as dores não sentissem dor, concorda?
E concluindo tudo isso, eu acho que a minha dor esta com dor. Acho que ela precisa de algum remédio, que pra mim, Maria, e não a dor interiorizada, é como um veneno. Como fazer então se um corpo devide esse paradoxo de efeitos de uma mesma substancia? É remédio para ela mas é veneno pra mim. Ajuda-a mas me machuca.
Quem devo escolher. Eu ou a dor? A dor ou eu?

2 comentários:

J.R disse...

vixi...quanta complexidade nessa cabecinha heim???

Só vc pra saber o que é melhor!!

comme des habitudes disse...

oláaa achei teu blog lindo. se tiver interesse pode me adcionar. abraços.. leandro.