12.12.09

E quando eu estiver triste?


Rock’n’Roll? Talvez, alcóol? Chocolate? Quem sabe, cama-coberta-travesseiro-sono? O que te faz esquecer?

Esquecer quem você é, porque que esta aqui, com quem esta aqui.Esquecer que teu cachorro esta doente, que você engordou 5 kilos, que teu pai saiu de casa e não voltou e tua mãe também não quer sair do quarto.
O que te faz lembrar?

Lembrar que você terá chances de ser alguém melhor. Lembrar que amanha ganhará um aquário com várias Carpas coloridas. Lembrar que a esteira esta nos fundos de casa, lembrar que tem o celular do teu pai no meio do material escolar e que tua mãe precisa de teu carinho.

Um dia me disseram que tudo ficaria bem, que a dor passaria quando o remédio acabasse, que meus textos melhorariam, que eu encontraria alguém com quem passar um sábado chuvoso. Enganaram-me. Assim como quando dizem pra você que você passara de ano, que tua roupa não esta feia, que o teu cabelo é bom, que teu corpo ta ótimo, que o bolo que você fez é delicioso. Mentiras, enganos, fatos errados contados por pessoas erradas.

É mentira também essa sensação de fracasso? Essa sensação de derrota por não ter a vida que você gostaria de ter? Eu sou quem engana a mim mesmo? E também sou a mentirosa que conto fatos errados? Assim fica fácil acabar com os meus problemas...

Descreveremos: chove no sábado, a geladeira vai ficando vazia, e o relógio não entende se é pra acelerar ou retardar seu movimento; duas janelas no MSN e o celular tocando musicas aleatórias, que deveriam me fazer rir ou chorar?Mãe fora, pai figuramente fora;
eu? Pijama.
Já tentei todas as formas alternativas de ferir, de machucar, de fazer chorar, de corroer até a ultima parede. Já se foram todas as minhas idéias de como acabar com essa “coisa” que ta “coisando” sem descansar. Não tem mais pessoas, nem profissionais, nem parentes, nem amigos, nem animais que possam secar a fonte “coisadora” de “coisas”. Será que ninguém percebe que ta tudo “coisado” por aqui?

Sem amor, sem amizade; sem som, sem TV; sem carro, sem a pé; sem sorvete, sem vinho;
restou?
Com ódio, com inimizades; com silêncio, com tédio; com patinete, com patins; com bolo, com gordura;

Sobrou?

Isso aqui esta ridículo, e já me sinto uma juvenil da única coisa que eu considerava lindo. Já me considero uma “coisa”. Já me dominou, não estou nem sabendo dizer “chega, eu não agüento mais”, agora eu abro a porta e digo “use e abuse, mas não lambuze”.

Um comentário:

Paulo Vitor Cruz disse...

pretensioso q acordei hoje, eu lhe trago a resposta...:

1- qdo estiver triste me escreva um e-mail daqueles q vc me escreveu uma vez e q nunca mias recebi... (porque vc nunca mais me escreveu?...)... n sei se melhoraria alguma coisa, mas ao menos vc terá em mente enquanto escreve uma pessoa q passa por situações ainda piores q a sua, e isso possa te confortar um pouco.. risas...

2- esquecer? nada disso, enfrentar de frente... e na hora em q cansar, mudar a brincadeira...

3- lembrar? nada disso... viver intensamente... lembrança é coisa de gente velha e careta... viva o presente, o passado e o futuro tudo junto....

4- das mentiras todas as q vivemos, a unica verdade q temos pra nos agarrar é q a nossa impressão é tbm a nossa verdade...

5- rir ou chorar?... as duas coisas ao mesmo tempo... rir e chorar separado é muito fácil...

6- acho q ninguém percebe mesmo q está tudo coisado por aí, pq o ser humano é um egoísta por natureza... e tudo o q faz e pensa gira em torno de si mesmo e de suas pretensões...

7- se sobrou, eu n sei... tente se perguntar sobre como foi esse 'gasto'... era mesmo necessário sobrar?

*esse seu jeito sincero e trágico de escrever tem sabor de bolo de chocolate, chica... triste de quem n se deixa devorar todos os pedaços... (perdoe a comparação sem graça e sem sentido...n resisti a ela... risas...)

no mais é aquela saudade q eu sinto de alguém que eu ainda n vi...

bai bai.