10.1.10

Contido no Sentido

De verdade? Preciso levar tapas na cara.
Pra ser sincera eu deveria passar fome,
ter sede,
morrer de frio
e sentir o inferno.
Nada como uma verdade para machucar tanto.

Ontem quando tudo parecia estar elevado,
O chão era em cima,
O vento era parado,
O som era mudo e
O verde era amarelado
Eu senti a vontade de querer ainda ficar de pé.

Mas,
Petrificaram a coragem
E jogaram pó-de-mico.
Acordei com choque
Sonhei um pesadelo
E não acordei ainda.
Me perguntam porque tanta mudança.
O que eu devo dizer?
Como explicar ás pessoas
O que elas já sabem?

Ou melhor,
Como ouvir a resposta certa
Se não encaixa na tua pergunta?

Nada faz sentindo
Nem esse poema
Nem você – muito menos eu
A hora não faz sentido
A música é brega
E o clima sem sentido

O problema maior de tudo isso
É saber
que prum lugar eu tenho que ir, eu sinto!
Prum lugar
Que tivesse sentido,
Mesmo parecendo não querer ter ido.

Um comentário:

Paulo Vitor Cruz disse...

tapas na cara?... nada, vc precisa é de todo o amor do mundo e um poquinho mais...

*tente n prolongar mto o seu sumiço, viu....

besitos desse carinha q tanto gosta de vc.