4.4.10

A cura. (Parte 1)



-Senhor padre, eu tenho muitos pecados em mim. Eu sou uma pessoa má, uma pessoa egoísta.Não rezo.Não pago dízimo.Tenho inveja e ciúmes.Não sou digna de viver.
-Por que falas tudo isso minha filha?
-Minha mãe disse-me isso. E algumas coisas eu cheguei a conclusão sozinha.

-Quais foram ditos pela sua mãe?
- Ela disse que eu sou má.Ela não sabe donde vem tanto maldade.Ela falou que sou parecida com a minha avó, sogra dela, 'Você é uma bruxa, igualzinho a tua avó' ! Ainda complementou, dizendo que sou egoísta, que só vivo no meu mundo, não ligo pra ela, pro meu pai, e pros meus irmãos.

- E isso é mesmo verdade?
- Olha padre, se eu vim aqui 'me confessar' e dizer que preciso me purificar disso tudo, talvez eu ache mesmo que sou tudo isso... mas se o senhor me permite, vou ser sincera: minha mãe exagera.Ela cobra que eu seja feliz enquanto ela não é.Ela me cobra para ser 'boa', mas o que é ser boa para ela? Será que eu não sou boa para mim mesma?Desculpe padre, mas eu não me acho alguém terrível; não me acho boa a ponto de ser Jesus, mas não me acho má a ponto de ser Lúcifer.Eu sou humana.

{...}

6 comentários:

Jonathas Nascimento disse...

Olá,
Olha, o seu perfil é muito legal, ainda mais para quem gosta da poesia de Renato. Mais do que isso quem se apaixona pelo vizinho, pelo melhor amigo, pelo carteiro, pelo garçom, só pode ser antes de tudo: Humano.

No fundo é o que importa, não é?

Feliz páscoa!

Mariá Ortolan disse...

ee poe humano nisso ahahah

obrigada pela visita (:

Luana Pagung disse...

Que bacana! Criativa a idéia do texto como confissão a um padre, gostei.
E somos humanos, merecemos perdão. O importante é de fato se arrepender e aprender. :}

Obrigada pelo comentário lá no Blog Pagufolia, fico feliz quando as pessoas dão sua opinião por lá...

Beijos :**

Vanessa Souza Moraes disse...

O eterno conflito mãeXfilha.

Denise Portes disse...

Gostei muito.
Beijos
Denise

Melanie Brown disse...

E escreve bem!!!!