3.6.10

E eu faço o que com a nossa vida genial?






Quando eu recebi aquele presente pensei que tudo seria diferente dessa vez, achei mesmo que um pouco de amor resolveria meus problemas, na verdade, não é pouco amor, é muito amor, mas mesmo assim não resolveu metade dos meus problemas, pelo contrário, agora tenho vários problemas.
Um problema grande é você estar em um mundo, em um universo paralelo onde dizem que você é linda, dizem que você nunca foi tão perfeita, dizem que você está completamente maravilhosa quando acorda, dizem que teus pés não são os mais bonitos, mas são lindos, dizem que você é criança demais pra entender as coisas [ e pra sentir? eu sou criança demais pra sentir? ] , dizem que você é amargurada, dizem que você ainda tem muita coisa pra passar e que não sabe aceitar conselhos e receber elogios. Isso é um grande problema.

Desse jeito eu fico na dúvida, quando eu não tenho mais nada pra pensar, e começo a arranjar agravantes para os meus problemas: será que  sou um rio, onde você pode ver o seu reflexo, ou será sou chuva, que apenas desaba sempre tão desavisada? Eu realmente não sei o que sou em você.Nem sei se quero saber, eu não vou acreditar do que você vai me falar, e se eu acreditar vai ser pior ainda. Mas esse meu texto não é pra você.
Entre esse universo paralelo e eu há uma enorme distância, distância caracterizada pelo tempo, pelo destino, pela voz, pelo cheiro, pelo pensamento, pelo espírito, pelos amigos, pela familia e pela intensidade de amor.
O que você quer que eu faça então? Você quer que eu espere no meu lugar o tempo acontecer? E se você me dissesse que não era o cara certo pra mim? Já pensou nisso? Já pensou em me dizer que você não era tudo isso que imaginava ser pra mim? Se eu fui uma decepção, se eu fui uma carência, se eu fui uma aposta, se eu fui um escorregão, se eu fui uma abstinência, se eu fui um ciúmes, se eu fui um passatempo, se eu fui um desejo, se eu não fui amor, me diz.
Vamos deixar tudo como esta. Mas pensa que você me conheceu assim sem jeito, que foi difícil, mas você se esforçou e eu também, e que sem pensar a gente segue um clichê de que o que tiver que ser vai ser [ mas ai a gente depende do tempo também, e depender de um relógio é a coisa mais triste que existe ].
Eu só não quero que você volte pra tua casa fingindo que nada aconteceu, você sabe que a unica coisa que eu penso é você, e eu queria acreditar que a unica coisa que você pensa sou eu.
Tenho medo de chegar amanhã e eu estar pior do que eu estou agora, do que eu estive hoje, eu tenho medo de não conseguir perdoar a vida por ela não me dar uma chance de ser feliz.Eu já falei  que você é o amor que eu nunca acreditei que existisse, já falei que amo sim você, mas o pior é que não sei se estou pronta pra amar, não sei se esse é o exato momento em que eu estou LIVRE pra amar, LIVRE pra ser feliz. Mas eu tento, mas eu suporto, mas eu rezo [ eu que não vejo motivos pra rezar ], mas eu planejo, mas eu vivo, mas eu vou te amando, do meu jeito, do nosso jeito, da nossa maneira.


2 comentários:

Naia Mello disse...

Eu estou passando por isso. Portanto me identifiquei com o texto. Eu não sei quem sou. Tenho dúbias de sentimentos estranhos pulsando aqui dentro. E meu coração de fato é feito de uma pedra inalienável.

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

E se ele estiver mesmo falando a verdade spbre tudo?

:]