23.7.10

Não Consigo te Falar



Poderia muito bem começar falando sobre a minha teoria de ontem, sobre a teoria das caixas, que pessoas são caixas, mas não é isso que preciso te falar.Não é isso que preciso falar porque isso eu consigo falar, agora o que eu preciso te falar eu não consigo nem pensar.
Mencionar magia de começo de amor, mencionar paixão, fogo de palha, mencionar mudanças e mais mudanças, mencionar idades diferentes, olhares diferentes, pessoas diferentes, sinto muito, não resolve! Em hipótese alguma eu iria levar tudo isso em consideração se eu te amasse, por isso que não levo nada disso em consideração.
Agora eu ouço a música que mais me deixa triste, agora eu não consigo chorar porque você, em dois meses secou minhas lágrimas.
Diz-me, que tipo de mulher corre atrás de homem? Que tipo de menina sai de casa, desesperada, depois de um tapa na cara dado pela mãe, descalça, de bicicleta, chorando, em busca de um cara que some, em busca de um cara que corre, que diz que vai embora quando deveria ficar? Que tipo de pessoa você está me fazendo ser?Que caixa eu sou com você? Eu sou a caixa desembrulhada, que se aproxima da essência, ou eu sou a caixa dentro de uma outra caixa preta? 
Tenho medo de descobrir que isso não é o tal amor das canções que eu ouço.
Mas tenho mais medo ainda de saber o quanto você tem interferência em mim. É INTERFERÊNCIA, não dependência.Eu não sou viciada em você, não necessito de você, eu apenas quero você.Aquele querer mais puro, igual ao que você tinha antes por mim... é isso, um querer tão grande que me deixa ridícula, que me deixa cega, que me deixa relevante demais.
Agora se quer saber se me sinto humilhada, se me sinto menos mulher, feminista, por causa disso, eu digo: me sinto apaixonada.Só isso, apaixonada. Por você eu ainda tentaria escalar o Everest!
Entretanto, infelizmente, meu pavio nunca deixou de ser curto. Adoro sofrer, você sabe, odeio perder, você sabe, mas se for pra ser feliz tendo perdido você, sinto muito meu caro, se precisar eu vou ser feliz e sozinha!
[não quero isso tão cedo, estou "bem" com o meu sofrimento e meus ganhos contigo, mas é bom mostrar as forças que temos, só para assustar o inimigo.]

2 comentários:

Mariana Rodrigues Costa disse...

UAU! Adorei! *.*

Melanie Brown disse...

Tuas escritas sempre me fazem perder o fôlego!!!!!!!!!