6.5.09

Tal mãe , tal filha.


Estava pronta pra dormir. Pijama mais confortável não haveria. Uma música que a fazia concluir que pensara nele não porque ainda o amava, e sim porque não tinha em quem pensar ouvindo a bendita música. Ela escutava Leoni, e para variar, não conseguia pegar no sono, nem piscar os olhos ela estava conseguindo. Vidrava-se no nada. No horizonte do próprio quarto, onde as paredes eram rosa, onde as cortinas eram rosa, onde a colcha era rosa, onde o tapete era rosa, onde o travesseiro era rosa, onde ela se sentia dengosa;
- Mas mãe, tem tanta coisa que eu sinto falta que não era para eu ainda sentir falta. Tanta coisa que eu quero que não era para eu ainda querer. Tanta coisa que me faz chorar que não era para eu ainda chorar.
- Como o que, minha filha?
- Eu sinto falta de... ai mãe, sei lá. Eu sinto saudade de coisas que eu ainda não passei, entende? Como isso é possivel? E não, eu não estou me enganando, é saudade que eu sinto. É saudade porque é igual aquele sentimento que você tem quando alguém vai embora pra sempre, como um dia ele foi.
- Ai minha filha, eu queria tanto tirar essa dor de dentro de você.
Como se a mãe também não sentisse tudo que ela está sentindo...

7 comentários:

Paulo Vitor Cruz disse...

bem, preciso teclar q realmente achei q vc sentia o q tava no texto...mas ainda assim eu gostei...acho q esse o espírito mesmo...(e acho q vc tem um pouco daquilo...mesmo q n assuma...risas...)

e preciso teclar tbm q me surpreendi com esse texto de agora...traz um lirismo diferente daquele q vc trazia anteriormente...(bem, essa a minha impressão...n q seja isso de verdade...afinal nem sei muito bem o que é lirismo...risas...)

abs.

J.R disse...

Mãe é nós!

viemos dela...como ser diferente?

o nosso coração a elas pertencem.

bjs!

Mariá Ortolan disse...

aiii Pv
sóo vocês meeesmo HAHAHA
e paraa q eu n so rebelde, apenas, digamos, revolucionária vai o/ HAHAHAHA

aii jura q vc sentiu 'melhoras' no meu texto: *_* ai qe booom=]briggada=)

Jr pra vc ve né
e eu q tanto brigo com a minha mãe, e parecidas somos ate demais ;x obrigado por ta passado aki =

beijos meninos;*

Adriana Monteiro de Barros disse...

...eu sinto falta de....eu tenho saudades de...e não sei de que. Isso é muito bom Mariá, o texto é bom e as faltas também. A gente aprende a conviver com elas.

bjs
adriana

Thaís Nóbrega disse...

oi, moça!
obrigada pelo comentário, adorei! :)

gostei daqui também! vou voltar sempre :)

Mariá Ortolan disse...

menina, obrigada pela visitaa viu ;] espeeero que voltem mesmo (:

e obrigada pelo olhar 'técnico' adriana, são muito bem vindos =]
e com certeza, a gente ta aki pra aprende meeeeesmo, o dificil é a maneira que estamos aprendendo ;ss

beijoos meninas ;*

J.R disse...

Brigadão pelo "adooorooo"...rss..

Afinidades...por isso acha legal!

bjs.