22.6.09

Alguém que Ainda Não aconteceu


Eu queria brincar com essa inutilidade que eu sinto em relação à busca da felicidade. Eu queria entender o motivo que me leva a crer que vou achar alguém que me faça tão bem. Faça-me sentir tão humana mesmo quando eu sinto ódio, raiva, inveja, luxuria, avareza e todos os outros pecados desumanos. Alguém que me faça sentir o calor da vela no bolo de aniversário, que me mostre como o escuro pode ser colorido se fecharmos os olhos e imaginarmos um mundo novo, um mundo novo que ele vai me mostrar.
Mas eu creio no errado. Eu creio na fantasia dos livros, na vida fantasiada mesmo.Naquele velho cavalo branco que eu pedi pro meu pai comprar pra mim, porque eu era frustrada em saber que não, nenhum príncipe viria me buscar montado num cavalo branco. Então eu digo que tudo o que me deixaram foi apenas decepções. Alguém fez tudo errado, alguém... Sempre alguém.
Alguém pra eu culpar dos meus erros. Alguém que falta e eu sinto saudade. Alguém que não se esconde, que deixa tudo pra trás pra vim comigo.
Alguém que me proporcione algo mágico, a ponto deu não lembrar de esquece-lo.

3 comentários:

J.R disse...

Cavalos brancos e borboletas azuis...rss..

Pois é!! Moça por favor...Por favor..rs.

bjs!

Paulo Vitor Cruz disse...

pois é crendo nesse "errado" q vc se torna essa chica toda especial q vc é...

abs.

Adriana Monteiro de Barros disse...

O seu primeiro verso já te diz tudo! Brinque com essa inutilidade de precisar buscar a felicidade em alguém. E Viva!

beijos