19.11.09

Somos a Doença Sem Cura, Ainda.


A preocupação em relação ao mundo e seu destino ainda é um dos maiores problemas que orbitam, ou que deveriam orbitar, as cabeças pensantes presentes no planeta, e que inclusive argumentam haver responsavéis para todos os problemas ecológicos que enfrentamos: o ser humano. Prtiremos dos primatas, de como era antes, o passado sem o futuro, a vida sucessora das grandes evoluções, uma existencia em seu inicio em que ainda se andava e não corria, pois o importante era sair do lugar ao invés de saber onde iríamos chegar, sendo issso o normal e esse processo natural de evolução um sistema saudável, onde visa uma adaptação lucrativa em termos de qualidade de vida. Como todo processo tem seus "acidentes de percurso" como efeitos colaterais de um avanço, ou desproporção evolutiva causada por critérios ambientais, geologicos, socioeconomicos, pagamos um preço por essas mudanças ao longo dos anos. A ênfase estaria na dimensão dessepreço, que aumenta proporcionalmente com o execesso de ambição que muda o ritmo do "andar evolutivo", consequentemente invertendo os objetivos: hoje em dia queremos chegar a patamares utópicos e em velocidades astronomicas, e não apenas sair do lugar. Considerando que nós homens somos os designados a cuidar do planeta- nossa própria casa- e que somos então os responsáveis por essa aceleração rítmica nos avanços tecnologicos e humanos, prporcionando as desvantagens acentuadas para a Terra e seus habitantes, sim, somos o câncer do planeta!



*redação feita em classe, coordenada pelo professor Nino , no Colégio Lumen - Guararapes, Sp
16/11/2009

2 comentários:

Melanie B. disse...

Imagem chocante!

Paulo Vitor Cruz disse...

...e texto brilhante...

parabéns, chica... um dos melhores q já li aqui...