8.4.10

A Cura (Final)



- Se você não reza, mandar-lhe um terço inteiro seria bobagem.Tenho a certeza que essa ave Maria vai ser a unica oração que ia fazer com fervor.Você veio em busca de purificação para ficar bem consigo mesmo, para dar-lhe uma desculpa de que esse caminho, o de Jesus você já tentou, mas minha filha, sinto muito em te dizer, mas essa angustia tua, essa sua "maldade" que não é maldade coisa nenhum não vai passar nem com Jesus, nem com drogas, nem com álcool, nem com liberdade, nem com ombros amigos.O que lhe curará essa doença que te faz jorrar lágrimas vai ser o amor.
 -O amor? - nesse instante Isabella ja não entendia nada: o próprio Padre lhe disse que Jesus não era o caminho.Isabella ficou confusa.
-Sim!O amor.
-Mas eu devo amar o que? quem? 
- Quando eu digo amor, eu digo que você deve amar o que lhe desperta amor.
E assim Isabella rezou a mais poderosa ave Maria de todos os tempos daquela igreja, ela, uma menina sem religião, acabara de entrar numa igreja católica, conversara com um padre, confessara seus pequenos pecados.Isso tudo bastou para que tanto o padre como a própria menina vissem a importância do amor.
O amor transforma.Não importa que amor, não importa como amar, não importa quando amar.Mas amar, intensamente amar.
Isabella ainda não descobriu o que lhe desperta amor, mas ela sabe que tem acumulado dentro dela sacos e sacos de amor.
Ela não vê a hora de distribuí-los.

2 comentários:

Melanie Brown disse...

Sorte para a iniciante Isabella...

B disse...

OWWN. Adorei, mesmo. *-*

passa lá, também tenho meus rabiscos:

http://contandohistoriasempre.blogspot.com/