8.7.10

Que sejamos Fortes





Quando você foi embora eu agradeci a Deus, e coloquei Cazuza pra ouvir. Agradeci porque eu consegui fala tudo o que eu tinha pra fala sem, eu acho, te machucar como você me machucou quando nem nos meus olhos olhou. Coloquei Cazuza porque me lembra você, principalmente a música que ele fala “com o coração gracinha/todo mundo tem um ponto fraco”.
Sabe... eu queria te dizer que hoje, para variar, foi muito bom passar o tempo com você. Acho que eu toquei no nome da Lorraine umas mil vezes, mas você tinha aquela cara de cafajeste que me dizia pra parar com esse assunto, mas no fundo imaginava-se de barriga pra cima, brincando com a filha de pula-pula. Acho que hoje você se mostrou um marido pervertido e um pai responsável, o que mais uma mulher gostaria de ter?
Entretanto, como se não bastasse ser perfeito, você também quis mostrar que sabe exatamente ser imperfeito, e me mostra o teu lado mais infantil/doentio. Você me mostra que tem uma puta vontade de matar o mundo quando ta nervoso. Você me mostra que é um cara totalmente amargurado pelas lições que a vida te deu. E eu querendo te mostrar só que me importo muito contigo.
Não me assusta mais não, ta?
Eu peço toda a noite para que no dia seguinte eu esteja bem, para poder te aproveitar a todo o momento e nunca, absolutamente nunca, ter que dizer que o nosso amor foi um engano.
Eu tô cagando para os teus “talvezes”, eu tô cagando se você é um “ser tão demente, porra louca inconsequente e ainda consegue amar”. Eu tô cagando para as tuas armas sem efeitos sobre mim. Mas eu tô cagando mais ainda para esse nosso orgulho que acredita que um dia um vai largar o outro pelo simples fato e clichê de: “você merece coisa melhor, eu sou muito ruim para você”.
A gente tem que parar com isso.
Olha pra essa minha cara lavada e veja como meus olhos brilham toda vez que falo teu nome, eu não consigo sentir ódio de você! Eu não consigo simplesmente mandar você embora. Você já faz parte de mim faz tempo.
Não deixa ninguém separar a gente!
Passamos por cima da esquizofrênica da minha mãe, passamos por cima, ou não, do autoritário do meu pai. Você conquistou meu irmão, você virou pai para minha irmã. Você acha mesmo que não vamos suportar meros amigos? Você acha mesmo que vale a pena discutir a grau de importância que temos perante aos outros seres desse planeta?
Então, meu amor, eu te ofereço esse universo que é habitado por você e por mim. Ofereço-te, meu amor, meu útero para ter um filho com você, num futuro bem longe! Continuo querendo dividir com você o sofá, a cama, o carro, a poltrona do cinema, o altar, o vagão do trem e o elevador.
Que os ventos tragam paz e felicidade para nós. Que sejamos fortes para vencermos nós mesmos. 

3 comentários:

Mariana Rodrigues Costa disse...

*.*
Que liindo!!!
(Mto feliz por vc, Maryy!!)

Mariana Rodrigues Costa disse...

PS: passa no meu depooois??? ^^

Melanie Brown disse...

Voce me parece estar bem segura de si, espero que esteja sendo valorizada... Beijos flor, Boa Sorte!!