22.1.11

As tristes marcas No sorriso


Quantas e quantas vezes ainda terei que implorar por amor? Meu Deus, como dói essa falta de carinho. Meu Deus, como dói não ter aquilo que a gente acha que merece. Meu Deus, como é triste viver uma vida sem amor.
Dói aquela dor lá dentro, la no umbigo do coração. Lá nas entranhas do meu coração, eu sinto que me há algo lá trancado, esperando parar que possa ser solto, e ai sim serei feliz.
Como se a gente não soubesse que tudo isso é uma bobagem, como se a gente não soubesse que amor não existe, não do jeito que você queria que ele exista. Se eu aprendi uma coisa com essa minha pequena vida, foi que nada é como a gente quer, sempre é um pouco melhor, ou um pouco pior, mas nunca do jeito que sonhamos.
Uns sabem lhe dar com isso, eu não. Não sei lhe dar com a derrota, com a aceitação de ser infeliz. Não sei lhe dar como esse carma de ser pouco amada, de ser amada aos meios termos. Não sei mesmo, gostaria de aprender para que a minha vida fosse mais fácil, para que a nossa vida fosse mais fácil, mas não dá.
Eu tenho meus remédios, tenho minha família, meus amigos, mas nada, meu Deus não existe nada, que tampe esse buraco, que tampe esse vazio do teu amor.
Não tenho nem forças para te dizer adeus, não tenho nem idéia de como vai ser viver sem essa migalha que você me alimenta, sem esse comprimido de amor que você me dá.
É assim que eu vou achando que não há amor em você. É assim que eu vou achando que você não merece ser o pai dos meus filhos, você não merece ter o meu corpo, não merece ter meu carinho, meu sorriso, minha vida, e por mais que eu quisesse que fosse você, e por mais que eu quisesse que fôssemos nós, isso não está dando certo.
Começo a achar que você é vazio, que toda aquela coisa dos três primeiros meses era pura encenação. Dói.
Mas eu não quero acreditar que me enganei tanto. Como pode? Você prometeu tanta coisa pra mim, tanto amor, tanto carinho, tanto mimo. Eu poderia ter te dado o mundo, eu poderia ter te dado um amor incondicional, um sentimento que você já mais teria sentido.
Ao fim, só lembro, todos os dias de manhã que eu mereço ser feliz. Por mais que isso demore, mais que isso me custe a vida, o sangue, a raça, o esforço, eu tenho o direito de ser feliz, tenho o direito de ser amada, de ser admirada, de ser desejada... Meu Deus, como sinto falta de amor.

4 comentários:

Vanessa Souza Moraes disse...

Todos merecem amor, suponho.

http://vemcaluisa.blogspot.com

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

A perda ou a falta de um amor não pode fazer com que desacreditemos completamente nesse sentimento. Porque em algum lugar, parece que ele existe mesmo.

Gostei muito do teu texto!

*

Mariana Rodrigues Costa disse...

Todos merecemos o amor, mesmo que ele não seja como pensamos, idealizamos. Todos acharemos o amor na medida certa um dia, disso pode ter certeza! Esperança sempre, Mary!
Força sempre!
BjoOm.

Naia Mello disse...

Você merece todo o amor do mundo. Merece ser feliz! Merece encontrar o cara certo e arrumar um jeito de acabar com essa dor insuportável. Porque só quem sente sabe. E eu sinto o que vc sente, independente de garotos ou outra coisa que ocorreu com alguém, e se vc dar um jeito escrevendo. Vai passar!